Por CADS Digital Experience em 15/06/2022
O verdadeiro impacto do Low Code nos times de TI

Soluções de baixo código já estão sendo utilizadas de forma estratégica com ferramentas de automação de processos, permitindo a criação de ferramentas poderosas somente com a criatividade dos times de inovação e negócios.

A grande sacada e o principal fator que certamente transformará o mercado de tecnologia e desenvolvimento nos próximos anos é que esses sistemas não dependem mais do conhecimento específico em linguagem de programação, mas de ideias, habilidade em orquestração de processos digitais e uma ferramenta que apoie as operações, como a solução Decisions Low Code, da CADS Digital.

Claro que isso não significa que será o “fim da TI”, apenas que o setor está pronto para dar um novo passo em sua transformação digital, escalando a criação de aplicativos corporativos que apoiam a demanda da organização, acelerando e aumentando a sua produtividade.

 

Low Code é a revolução da TI

As ferramentas de baixa codificação estão por todos os lados, ascendendo principalmente entre os profissionais de tecnologia, que representam 77% dos usuários desta solução, como aponta o estudo The State of Low Code 2021.

Dentre todas as possibilidades de uso do Low Code, a mais importante é a possibilidade de interação com ferramentas RPA e implementação de IA, criando soluções inteligentes e ampliando o processo de automação digital orientada para negócios. Esses sistemas podem ser implantados em diferentes departamentos conforme as suas necessidades, promovendo principalmente a coleta segura de dados e a cibersegurança, além de gerar insights e criar produtos cada vez mais relevantes para seus clientes.

Nos últimos anos, também temos presenciado a crescente inclusão do machine learning, treinando sistemas para que tenham uma resposta rápida aos fluxos de trabalho mais complexos e aumentando sua capacidade de prever falhas e tomar medidas mais proativas.

 

Gente de fora da TI também vai se beneficiar

Se a sua estratégia para esse ano inclui a integração do setor de negócios à produção de aplicativos digitais, low code é a melhor aposta. Graças a esse avanço e a sua praticidade, abrimos alas para que os profissionais de negócios também explorem os processos de inovação da empresa, criando uma relação híbrida que o Gartner nomeia como “tecnólogos de negócios”.

E existe uma grande vantagem dessa fusão entre departamentos. Contar com a experiência do time de negócios traz o benefício competitivo, já que estes profissionais possuem maior experiência com o cliente e sabem o que ele espera do novo sistema. Essa vivência ajuda a reduzir atritos na relação cliente-empresa e melhora a experiência dos futuros usuários da plataforma, atendendo melhor suas expectativas.

Em março, o Gartner publicou alguns dados muito interessantes em seu artigo The rise of business technologists. Segundo sua pesquisa com um grupo de 12.000 entrevistados, 41% desses profissionais já se enquadram nos requisitos de um tecnólogo de negócios, no entanto, o número varia de acordo com o setor. Naqueles onde há uso menos intensivo de tecnologia, como o Governo, chegamos perto de 25%, enquanto outros mais intensivos, como energia, já se aproxima de 50%.

Essa democratização da entrega digital dá maior liberdade para que o time de tecnologia se dedique às demandas mais complexas da engenharia de software, delegando responsabilidade e criando soluções de maior valor comercial. 

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..