Por CADS Digital Experience em 24/08/2022
Por que aplicar Low Code para a hiperautomação da Cadeia de Suprimentos de Saúde?

Gerenciar a cadeia de suprimentos sempre foi um grande desafio para a maioria das empresas, já que dependemos muito dos fatores externos, aqueles que não podemos controlar.

E é realmente uma situação muito delicada, tanto para a empresa quanto para o consumidor. Em um dia temos acesso aos produtos por um preço justo, entregues dentro do prazo; e no outro, uma simples greve pode gerar um efeito dominó, aumentando o valor de produtos ou até gerar escassez no setor por conta da alta demanda.

Mesmo na área da saúde, esse cenário não é muito distante. Vimos isso recentemente, entre os anos de 2019 e 2020, quando ascendeu a crise causada pelo coronavírus e suas variantes. Em poucos dias, estoques de álcool em gel, máscaras cirúrgicas e luvas descartáveis esgotaram nas prateleiras de farmácia e supermercados. E quanto mais métodos preventivos eram divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), mais produtos e medicamentos se tornavam escassos, aumentando o valor comercial e aplicando preços abusivos ao consumidor.

Mas será que esses fatores são totalmente imprevisíveis, como muitos afirmam? As novas tecnologias podem ajudar empresas a contornarem tempos de crise, se preparando para o risco iminente que engloba a cadeia de suprimentos. Entenda como as soluções Low Code se aplicam na automação inteligente nestas circunstâncias.

 

Uso prático do Low Code na gestão de cadeia de suprimentos

A empresa que deseja manter o mínimo controle da situação deve ter uma preocupação em manter a boa gestão das informações e das ações praticadas entre funcionários e fornecedores externos, o que pode ser feito por meio das hiperautomações.

Tal coordenação aumenta a colaboração na cadeia de suprimentos, facilitando a análise global, permitindo que possíveis atrasos sejam identificados em tempo e, consequentemente, ações sejam tomadas rapidamente, solicitando suprimentos mais cedo e reduzindo os riscos que podem afetar a entrega da demanda.

Nós podemos nos surpreender com a entrega que os dados podem nos oferecer, e a agilidade para prever eventos sazonais e sinais recorrentes que podem desencadear cenários críticos, como problemas na saúde pública de nível regional, como epidemia em pequenas cidades, até globais, como uma pandemia generalizada.

Com o apoio do RPA valorizando as habilidades cognitivas, é possível analisar uma série de informações de uma só vez, encontrando padrões relevantes que podem alertar o momento certo de tomar uma ação, como renovar o estoque de vacinas, medicamentos e até Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

 

Com Low Code você automatiza de ponta a ponta

Um dos maiores riscos dentro do monitoramento de estoques está em possíveis falhas humanas que podem afetar os processos internos, que também reflete nas entregas para o cliente. Ferramentas Low Code permite que processos sejam facilmente, automatizados, adaptados, modificados e otimizados mesmo nos momentos mais críticos, eliminando gargalos que atrasam a demanda.

Mesmo em processos básicos, como o mapeamento de estoque e de produtos próximos do vencimento, é possível contar com o apoio de bots para monitorar e tomar ações para evitar o desperdício ou acúmulo desnecessário de material.

A solução Decisions Low Code, da CADS Digital, permite que você crie todas as soluções necessárias para suprir a demanda com ganho em escala, fazendo robôs processarem relatórios avançados enquanto você monitora o próprio fluxo de trabalho e inova com melhorias para as equipes.

 

Gostou da dica? Tenho certeza que você vai tirar grande proveito do nosso artigo sobre o uso de tecnologias apoiando a área da saúde e otimizando a jornada do paciente.

 

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..