Por CADS Digital Experience em 16/09/2022
Seguros e tecnologia, EVOLUINDO as tradições do mercado de seguros

De modo geral, todos aqueles que contratam os serviços de seguro o fazem por um motivo em comum: prevenção contra acidentes imprevisíveis.

Só que para atender o contratante de forma pontual, no momento em que ele mais necessita do serviço contratado, os processos das seguradoras devem apresentar características de gestão como: 

  • fluxo ágil de atendimento ao cliente usuário;
  • comunicação efetiva entre setores; e
  • dinâmica impecável de cruzamento de dados.

Sabemos que atingir a excelência na qualidade dos serviços em uma operação complexa depende do equilíbrio de processos, pessoas e tempo de resposta. Tríade alcançável através da automação e orquestração de uma série de rotinas em escala, mas flexíveis.

Mas como alcançar esse objetivo? Vamos explorar esse tema a seguir.

 

Por que priorizar a gestão de processos nas seguradoras?

  • Desburocratização de seus processos. Mesmo com equipes de alta performance, contar com tecnologia de automação de processos, faz toda a diferença aos indicadores.
  • Melhoria da experiência do usuário do serviço. O momento de entrega ao consumidor final ocorre no ato da necessidade do uso do serviço. Então, garantir uma jornada de experiência positiva e multicanal, preservando a segurança dos dados do usuário e acuracidade das informações entre tantas bases de dados, é primordial.
  • Inteligências múltiplas entre as equipes com mais foco na atenção necessária para realizar operações de sinistros, guiando as análises e despachando as resoluções. 

Todos esses fatores interferem diretamente na experiência do cliente, otimizando o relacionamento de longo prazo com entregas satisfatórias de NPS (Net Promoter Score – uma das metodologias mais utilizadas atualmente para mensurar satisfação do consumidor).

 

O “minimalismo” que gera resultado

Passamos da época em que competência se provava com volume de pendências.

Naturalmente, as seguradoras já possuem uma rotina muito agitada e com a percepção de “espera” tão sensível pela própria atividade de origem: em quase 100% dos casos de atendimento serem iniciados por atividades emergências e repleta de demandas envolvendo uma rede de fornecedores e parceiros distribuídos geograficamente, com prazos de execução diversos e padrões diferentes de recebimento e troca de dados e que, atualmente, entrega solução de problemas para um consumidor multiconectado. É tempo de simplificar processos e gerar mais resultados!

Segundo a CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização), “Estudo realizado pela consultoria Boston Consulting Group (BCG) revelou que as seguradoras que investem significativamente em Inteligência Artificial (IA) já estão obtendo resultados, como aumento de 20% a 25% em novos negócios líquidos, e reduzindo as taxas de sinistralidade em dois a três pontos percentuais. Também ficou evidenciado que as posições de gerenciamento de apólices terão uma redução de 70%, e os sinistros de 40%, com a introdução dessas novas tecnologias. São setores que perdem espaço, mas, por outro lado, devem crescer os departamentos de tecnologia.”

É impossível falar desse tema sem citar a necessidade de automação de processos, tarefas e otimização da inteligência humana.

Será que tantas atividades, relatórios e papéis são realmente necessários? Aplicar conceitos de BPM Ágil para analisar fluxos de trabalho é uma forma de encontrar a resposta. Você pode mapear e organizar as tarefas, como também pode identificar os pontos que requer maior atenção, como os documentos que estão sendo solicitados, quais as alternativas para receber, armazenar e interpretar esses dados, além de buscar soluções contra atrasos, gargalos e falhas de processo.

 

Low Code, regras de negócio e multi interação técnica

Apesar de ser difícil desapegar da “papelada”, a substituição por formulários digitais ou capturados digitalmente, já é uma necessidade logística, dado à alta volumetria de dados e informações coletadas.

Agora, o desafio é a gestão do armazenamento digital deste volume, políticas de integração de dados em altos volumes, padrões de acordos de níveis de serviços diversos, resguardados por processos inteligentes que captura, revisam, alteram e entregam dados em camadas variadas de bases de dados, garantindo segurança em todas as camadas de interação. 

A criação e gerenciamento de bibliotecas de regras de negócios passa a fazer parte do processo de inovação. A experiência na aplicação de uma Solução reconhecida no quadrante Gartner para entregas Low Code, impactam na velocidade do negócio através da entrega de flexibilidade nas alterações e criações de novos fluxos de trabalho de acordo com o segmento e produto oferecido, diferenciando serviços voltados para seguro de motos daqueles focados exclusivamente em veículos para fins logísticos, por exemplo.

Integração com sistemas legados, aplicações específicas e demais softwares de gestão, precisa ser realizada com políticas de segurança resguardadas, porém, com muita agilidade nos tempos de desenvolvimento e testes de aderência da tecnologia. Desenvolver e criar condições de testes inteligentes e seguros precisa ser rápido e simples.

Por conta da complexidade das operações em seguradoras, qualquer alteração das regras por meio de desenvolvimento tradicional é trabalhoso, custoso e não escalável.

Você pode se beneficiar com o time-to-market entregue pela Decisions Low Code, permitindo amplas possibilidades analíticas e otimização de processos com ganho de escala e agilidade, modernizando suas operações e impactando positivamente todos que dependem direta ou indiretamente dos processos, resolvendo os principais problemas relacionados com a rotina administrativa das seguradoras.


Melhore o relacionamento com o cliente

As regras de negócios também podem valorizar cada ponto de contato com o cliente. Você pode usar ou integrar soluções voltadas ao atendimento ao cliente, por exemplo, fazendo uso de um CRM completo, que apoie a personalização e gerenciamento de compromissos da empresa com os clientes.

Além disso, é possível realizar o envio automático de emails de acordo com a conclusão das análises, acelerando os processos do operador e atualizando o consumidor sobre as decisões em tempo real.

 

Redução de riscos

Soluções de baixa codificação permitem a criação de ferramentas mais funcionais, com melhor apuração de dados e que podem tomar decisões conforme definição das regras de negócios.

Dessa forma, você pode reduzir os riscos de prejuízos causados por erros humanos e fazer melhor gestão de perdas, tomando medidas rápidas frente ao problema.

 

Gostou das dicas? Você pode aprofundar ainda mais na ideia lendo nosso artigo sobre como a automação dos processos de subscrição ajudam a melhorar a satisfação do seu cliente.

 

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..